Galvêas 1966.
QUARENTA POR QUATROCENTOS
Exposição comemorativa dedicada a um personagem de Cervantes.

Completaram em 2006, quarenta anos da minha primeira exposição (1966) e quatrocentos anos do lançamento do livro D. Quixote (1605 – 1615).
Com mais 27 capixabas e uma centena de nacionais, mostrei pela primeira vez minhas telas no 1º Salão Nacional de Artes Plásticas do ES. Exposição organizada pelo MAM-ES, comandado por Roberto Newman, Marien Calixte e Louis Debbané. Era o tempo da Op Art. A capa do catálogo do Salão, em p/b, proporcionava efeito ótico semelhante a ondas em movimento. Entre 300 obras expostas, 3 eram minhas, pintadas com asfalto diluído em gasolina. Vendi uma que foi para Washington, US.

Marcando estes 40 anos de atividade artística:
- pintei uma série de 6 telas grandes, inspiradas na obra de Cervantes, focando o bem intencionado bacharel Sansão Carrasco (Cavaleiro dos Espelhos/Cavaleiro da Branca Lua) personificação da amizade e determinação, que derrotou definitivamente o seu amigo D. Quixote);
- organizei uma retrospectiva do meu trabalho, contemplando 4 décadas de atividade pública;
- montei uma instalação: “Com o passar do tempo”, de caráter ecológico;
- preparei 4 objetos para parede (ready made), evocando reciclagem.

Abertura, 10 de dezembro, domingo, às 9 horas.
Entrada franca todos os dias, das 9 às 18 horas, até 10 de março de 2007.
Você é nosso convidado. Pedimos apoio na divulgação deste programa.
Grato,
Kleber Galvêas

Apoio Cultural:

Clínica São Clemente - Galwan Engenharia - Hotel Eco da Floresta


O bacharel Sansão Carrasco chega a aldeia onde o Cura e o Barbeiro, despistando, aguardam D. Quixote enjaulado.


O cavaleiro da Branca Lua observa D. Quixote, que investe contra gigantes.


O cavaleiro da Branca Lua enfrenta D.Quixote.


O cavaleiro da Branca Lua segue D. Quixote.


O cavaleiro da Branca Lua se esconde, para encontrar D.Quixote.


O cavaleiro da Branca Lua vence definitivamente seu amigo D. Quixote.

Dimensões das telas: 122 x 100 cm.
Leia: DOM QUIXOTE - QUATROCENTOS ANOS - CLIQUE AQUI


Objetos de parede, visuais e tácteis, construidos a partir de "facas" encontradas no lixo de uma fábrica de tênis. Material utilizado na intervenção: parafina, cera de carnaúba, cera de abelha, pigmento e verniz acrílico.


Instalação: Com o Passar do Tempo.

Material utilizado: Resíduo de limpeza da máquina que fabrica fios, encontrado no lixão de Vitória. Artesanato capixaba, baiano e asiático.


RETROSPECTIVA: 1966 – 2006
Pintor: Kleber Galvêas. Ó leo, acrílico e asfalto sobre tela. Aquarela e gravura em metal.





















Fale conosco [email protected]

VOLTAR

www.galveas.com